Livro: A Grande Magia

Peguei a indicação na internet e essa leitura não poderia ter vindo em melhor momento! Elizabeth Gilbert, também autora do best seller Comer Rezar Amar, fala neste livro sobre viver de maneira criativa – sem medo.

Foram tantos insigths que não sei nem por onde começar. O livro é direcionado para todas as pessoas que vivem ou querem viver de sua arte. Entenda por arte atividades como música, escrita, pintura, dança, enfim. A autora nos desafia a viver mais motivados pela curiosidade do que pelo medo.

Isso porque muitas vezes sentimos medo de expor nossas artes, nossas criações. Especialmente nos dias atuais, onde todos são (ou podem ser) criadores de conteúdo e fazer disso sua arte. Temos ideias, mas morremos de medo de expô-las.

Temos medo porque nos preocupamos com a opinião e julgamento alheios. Elizabeth é categórica em dizer que não assume tarefas adicionais, como tentar policiar o que as pessoas pensam de seus livros depois de prontos. E acrescenta: “Você é livre, pois todo mundo está ocupado demais consigo mesmo para se preocupar com você”.

Inicialmente, ela se refere à inspiração e à criatividade como seres energéticos que vivem nos rodeando, esperando que um ser humano se aproprie e dê vida a eles. A esse fenômeno ela chama de grande magia.

Ele vem e vai, não se pode esperar que esteja o tempo todo disponível. É preciso deixar ir. E para alimentá-lo, ela aconselha, devemos estar em constante movimento. Não importa se a inspiração está presente ou não, ela se senta diariamente em sua escrivaninha e faz o que mais ama: escrever.

E quando a inspiração aparece, é preciso agarrá-la, pois se você perder o timing, ela vai pousar no colo de outra pessoa disposta a colocar tal ideia em prática. Como aconteceu em uma história super curiosa que ela divide logo no início do livro.

As lições que ela nos deixa nesse livro são muitas: ame seu trabalho, não desista do seu sonho, trabalhe duro, não se preocupe com o que os outros pensam e o principal: seja grato antes, durante e depois de todo o processo.

O melhor professor de criatividade que você pode ter é seu filho

É comprovado que uma das principais competências do futuro é a criatividade. Já existem profissionais aplicando cursos para que os adultos se redescubram criativos.

Muito maluco isso, já que precisamos da criatividade desde sempre e, principalmente quando adultos, para enfrentar as adversidades.

Meu mestre em criatividade, Murilo Gun, diz que a criatividade é a arte de resolver problemas. Concordo, já que a neurociência explica que somos nós quem os cria.

Peraí! Você está dizendo que eu inventei esse problema que estou enfrentando hoje?

Inventou não, mas classificou no seu sistema mental como um problema, ou seja, você enxergou ele como problema.

Normalmente chamamos de problema as situações em que não temos capacidade e conhecimento imediato para lidar.

Perceba como o conceito de problema é simples.

Daí surge a necessidade de sermos criativos e buscar dentro do nosso repertório de conhecimento, experiências e até meio social possibilidade de resolver.

Outra ferramenta muito eficiente para que a sua criatividade seja ativada é observar e aprender com os pequenos em casa. A criança é expert em criatividade, passe um tempo dedicada a observar uma criança brincando e perceba o poder de criação e visualização que ela tem.

Como ela faz de um tapete uma piscina, um armário uma cabana, como seus bonecos podem voar. E, perceba também, como eles buscam dentro do seu mini repertório formas de solucionar seus problemas.

Inspire-se nas crianças, aprenda com elas a arte de combinar informações e criar algo totalmente novo. Esse é o verdadeiro conceito de inovação.

Boa semana, luz e sucesso!


Esse texto foi escrito por Flávia Gimenes, empreendedora, terapeuta, leader coach e advogada fundadora da Líder de Si Desenvolvimento e Evolução. Sigam no Instagram @liderdesi.de para acompanhar conteúdos enriquecedores sobre autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e liderança humanizada.