Disney: Hollywood Studios com criança

O último parque que visitamos foi o Hollywood Studios. Super gostoso e com uma vibe muito boa para crianças! Várias atrações sem idade mínima, personagens bem acessíveis, espalhados pelo parque, sem filas quilométricas para tirar foto.

A Toy Story Land é um encanto! Super colorida, com pecinhas de brinquedo de madeira espalhadas, como se estivéssemos no filme; o Woody e a Jessie andando pelo parque, o Buzz Lightyear, com quem tiramos foto e o Otto parecia super amigo, apesar de ainda não conhecer rs. Tudo muito lindo!

A Slinky Dog Dash é a montanha-russa do Toy Story super disputada. Olhando de fora não me pareceu tão radical, mas como sou medrosa e a fila era imensa, decidi não arriscar rs. Ainda na Toy Story Land, fomos no Toy Story Mania!, um trenzinho que fica girando nos trilhos enquanto, com óculos 3D, você tenta atirar nos alvos que aparecem. Liberado para todas as idades e Otto adorou!

Outra atração que ele curtiu muito foi a Disney Junior Party Dance, um show com DJs que animam as crianças, interagem com elas enquanto entram alguns personagens. Ele dançou muito e ficou super feliz!

Reuber old school quis assistir ao show do Indiana Jones… Bocejos rs. Ele curtiu muito, achou incrível. Eu não gostei tanto e Otto se assustou em alguns momentos com os sons altos e explosões.

Agora a grande estrela do parque é a área dedicada à franquia Star Wars, que, apesar de inaugurada no fim do ano passado, ainda gera curiosidade nos visitantes. Mais recentemente, uma nova atração foi inaugurada, a Rise of the Resistance. A fila é virtual, são liberados alguns grupos por dia e é preciso chegar antes mesmo de o parque abrir para conseguir um lugar na fila. Nenhuma dessas atrações é para crianças. Reuber conseguiu ir na Millenium Falcon e gostou muito. Dica: a fila tinha previsão de espera de 2 horas, mas tinha fila de single rider; Reuber arriscou e foi super rápido. Não levou nem 30 minutos entre ele ficar na fila e visitar a atração. Vale super a pena para quem for entrar sozinho.

Ainda falando de Star Wars, tiramos foto com o Chewbacca, mas Otto não simpatizou com ele não! rs Ele curte mesmo o Mickey e a Minnie, que nesse parque estão com trajes de gala, o Mickey com a simbólica roupa de filme Fantasia, um clássico do personagem.

Para o almoço optamos por um pedaço de pizza com salada. Eu tomei um copo de cerveja. Não lembro com certeza, mas foi algo em torno de USD 10 cada pedaço.

Para finalizar o dia, assistimos ao espetáculo Fantasmic!, que traz um mix de projeções na água, atores cantando e show de fogos. Na história, Mickey comanda todo o espetáculo que mistura sentimentos como bem e o mal, misturados a pequenas esquetes dos já conhecidos clássicos Disney. Surreal de lindo!

O ginásio onde acontece o show é simplesmente IMENSO e fica lotado. Algumas pessoas marcam fast pass para conseguir melhores lugares bem na frente. Não ficamos até o final porque Otto se assustou um pouco e como já estava ficando tarde, optamos por deixar o local antes e evitar a muvuca na saída do parque, deu super certo!

Usei o Baby Care Center, que nesse parque fica escondidinho, em uma sala dentro do Guest Relations, perto da entrada do parque. Ele é mais simples do que o do Magic Kingdom (não conheci dos outros parques que visitamos), mas é uma mão na roda para troca de fraldas e uma lavadinha na mamadeira.

Caso não tenha lido os posts dos outros parques, você pode ler agora, só clicar aqui:

Magic Kingdom
Epcot
Animal Kingdom

Nossa saga pelos parques da Disney termina aqui, mas tenho muitos outros assuntos que vou abordar no blog, no Instagram e no IGTV, fiquem ligados! E se tiverem dúvidas ou sugestões de posts, deixem nos comentários!

img_9627img_9628

Disney: Animal Kingdom com criança

O Animal Kingdom nos passa a ideia de estar em uma floresta. Super arborizado e com muitas sombras, em dias de calorão é uma boa opção para visitar.

A grande estrela aqui é a área de Pandora, dedicada ao filme Avatar. O chão que brilha no escuro, as espécies diferentes de flores e árvores, como aparece no filme, os sons, a Árvore da Vida, enorme e linda! Impossível não se encantar.

O Flight of Passenger, uma das principais atrações do parque e a mais concorrida, é um simulador que te leva a sobrevoar Pandora. A altura mínima é 1,12 m e as crianças não podem nem ficar na fila com os pais. É preciso pegar o rider swap, que permite que os pais se revezem para ficar do lado de fora com a criança enquanto o outro entra na atração.

Ainda em Pandora tem o Na’vi River Journey, um passeio de barco pela história do Avatar. Esse é liberado para as crianças, mas não conhecemos porque a fila estava gigante.

Outra atração com bastante procura, também liberada para as crianças, é o Kilimanjaro Safári. Você entra em um caminhão e sai pela floresta para ver animais como girafas, elefantes, hipopótamos, hienas, zebras e outros. Programão para os pequenos, Otto ficou encantado.

Neste parque o casal anfitrião da Disney está com roupa de safári, achei fofo demais! Otto, que a essa altura já era amigo de todos os personagens, adorou! Rs

Almoçamos no restaurante Satu’li Canteen, na área do Avatar. Entre todos os parques, esse é o que tem a melhor comida (na minha opinião, entre os outros que conhecemos). Você escolhe entre opções de carne, frango, peixe, e acompanhamentos como salada, feijão preto e outros. A água é free.

Gostamos bastante do Animal Kingdom, que diferente do que muitos pensam, não é um zoológico. Passamos um dia agradável e proveitoso. Mas, na minha opinião, não é um parque com a mesma magia do Magic Kingdom, Epcot e Hollywood Studios. Ainda assim, um lugar lindo e incrível de conhecer!

O que achou do post? Deixe seu comentário!

Disney: Epcot com criança

O Epcot era o parque que eu tinha menos expectativa e, talvez por isso, foi o que mais me encheu os olhos!

Disney sendo Disney. Perfeição e beleza em cada detalhe! O parque é dividido em pavilhões que representam países: Canadá, Reino Unido, Alemanha, França, Marrocos, Japão, Estados Unidos, Itália, China, Noruega e México.

Cada pavilhão mostra a cultura, gastronomia e um pouco da arquitetura do país. É incrível! Conforme você vai andando e mudando de pavilhão, já sente a diferença de clima, música diferente. Até as árvores mudam!

Estava acontecendo o Epcot International Flower and Garden Festival, com esculturas lindas de flores por todo o parque! Maravilhoso de ver!

O mais bacana é que logo no comecinho do Epcot tem um parquinho para crianças, com brinquedos, tambores e xilofones grandões, que fazem diferentes sons, túneis. Enfim, diferentes possibilidades de exploração para os pequenos, que nessa fase, é o que mais gostam de fazer. Otto, pelo menos, adora!

Chegamos e ficamos um bom tempo ali, Otto curtindo muito, brincando, passando de um lado para o outro, todo independente e feliz com as novas descobertas.

Foi gostoso porque depois disso ele ficou muito tranquilo para continuarmos nossa caminhada pelo parque. Entrou em algumas atrações com a gente, tirou foto com os novos amigos personagens rs. Uma delícia! Fez a soneca da tarde e conseguimos parar para almoçar com calma.

O legal desse parque é que os personagens ficam espalhados e são mais acessíveis para tirar foto e com filas bem menores, tiramos fotos com todos!

Não cheguei a usar o Baby Care Center do Epcot, troquei as fraldas no trocador do banheiro feminino mesmo, foi tranquilo.

Gostaram do post? Deixem comentários!

Sea World com criança

IMG_5084

Apesar de não ter sido dos meus favoritos, achei o Sea World muito agradável para ir com criança. Existe uma área nova dedicada aos personagens da Vila Sésamo. Lá você pode tirar fotos com os personagens e tem muitos brinquedos para crianças pequenas. É um parque mais tranquilo (pelo menos no dia em que visitamos), por isso é possível ver tudo com mais calma.

Acredito que a principal atração deste parque – apesar de polêmica – seja o encontro com as orcas no Shamu Stadium. Existe toda uma discussão sobre o Sea World manter baleias (e outros animais) vivendo em cativeiro. Já foi anunciado pela gestão do parque que esta é a última geração de baleias mantida sob seus cuidados. Os animais que vivem hoje no parque já nasceram em cativeiro e não sobreviveriam se fossem soltos em seus habitats naturais. Quando esses animais morrerem, a atração não existirá mais.

Durante o show os treinadores deixam claro que os animais são bem tratados, vivem em ambiente adequado e também falam sobre o trabalho do parque na conservação da vida marinha. O parque tem consciência de que os tempos são outros e o que fazia sucesso antigamente, hoje é questionável.

Show das orcas

Um imenso estádio com piscina e um telão à frente recebe os visitantes para a tão esperada apresentação. Os animais respondem aos comandos dos treinadores e dão piruetas que levam o público às alturas. Por fim, a baleia chega bem pertinho e, ao sinal da treinadora, dá uma bela “rabada” molhando as pessoas que estão nas primeiras fileiras. Eles também chamam pessoas da plateia para interagir – de longe – com os animais. Não vou negar que é um espetáculo bonito de ver.

Otto estava curtindo, mas se assustou muito quando as baleias jogaram água. Começou a chorar e não queria mais ficar lá. Sorte que já era o fim do show, subi com ele para tentar assistir das últimas fileiras, mas não adiantou, tive que sair com ele minutos antes do fim da atração.

Aquários

IMG_5092

Eu, particularmente, não gosto de aquários, ambientes escuros e frios. Tudo isso me dá um pouco de aflição. Mas Reuber gosta e queria muito ver, e acho importante que Otto veja e tenha esse contato com animais que ele nunca viu antes. Vimos espécies como foca, leão-marinho, boto, pinguim e outros. Há também os ambientes abertos, como na foto ao final do post.

Vila Sésamo

IMG_7870

É a parte mais fofa e super bacana para crianças. Tudo colorido e lúdico, com brinquedos onde as crianças podem se divertir. Entramos na área para tirar fotos com os personagens e depois fomos explorar os brinquedos.

Tem um espaço cheio de esguichos para as crianças brincarem em dias quentes (leve troca de roupa); não deixei Otto brincar porque o dia era de sol, mas não tão quente. Há um trenzinho e o carrossel fofo, que diverte desde crianças até os mais velhos.

Não vimos muito além disso porque foi durante a visita ao parque que percebemos que Otto estava com febre. Eu o mediquei e já voltamos rápido para o hotel. Mesmo assim conseguimos ver bastante coisa. O parque não é tão grande e é possível visitar em pouco mais de meio período.

Alimentação

As comidas nos parques de maneira geral acho ruins e caras, apesar de não conhecer todos os restaurantes. Mas numa passada de olho nos cardápios de alguns, é possível constatar. Comemos em um lugar onde você pode montar o lanche, escolher os acompanhamentos como batata e salada, além da sobremesa e bebida. Comemos um lanchinho bem fraco. Não me lembro o nome do lugar.

IMG_7822

Os vídeos abaixo parecem estar virados, mas quando você der o play vai aparecer corretamente!

Flagra do momento em que tomamos um banho! Olhe para o telão.

IMG_7813IMG_7799IMG_7886IMG_7869IMG_7911

Gostou do post? Deixe seu comentário!

Disney: Magic Kingdom com criança

010320133248-2

Magic Kingdom é o parque que, na minha opinião, melhor caracteriza aquilo que pensamos quando falamos em Disney. Tem todo aquele encanto e magia que arrebata os corações de todos, não só das crianças.

Se eu voltar mil vezes a Orlando, com certeza vou ao Magic Kingdom em todas elas. A gente nunca se cansa de lá. É como dizem: lá despertamos nossa criança interior, e isso é incrível!

Ele foi o primeiro parque do complexo Disney, inaugurado em 1971, e foi  nossa primeira escolha do roteiro para comemorar os 2 anos do Otto. Nesse post reuni as informações que você precisa saber para ir com crianças.

Horários

Confira o horário de funcionamento no dia da sua visita. Eles podem ser alterados sem aviso prévio e também pode ser dia de extra magic hours, quando o parque abre uma hora mais cedo ou fecha uma hora mais tarde para hóspedes dos hotéis do complexo Disney. Esses dias tendem a ter parque mais cheio. Além disso, vale dizer que lá os parques são enormes e as distâncias entre um lugar e outro são grandes, por isso, chegue cedo! Entre parar o carro no estacionamento e chegar à entrada do parque, leva mais ou menos 50 minutos. É bom saber disso para programar sua visita, e, chegando cedo, você aproveita muito mais o parque.

IMG_9367

Baby Care Center

Os parques da Disney possuem Baby Care Center, um espaço onde as famílias podem trocar seus bebês, as mães amamentar em uma sala tranquila e silenciosa, há cadeirões para dar as refeições, microondas, pia para lavar mamadeiras, filtro de água e ainda algumas opções de papinha à venda.

Estive lá uma vez para lavar as mamadeiras e trocar o Otto, e achei o espaço muito bom. Na entrada tem alguns bancos onde dá para sentar e dar uma relaxada. Os banheiros femininos (alguns masculinos também) possuem trocadores simples para uma troquinha rápida de fralda. Mas se quiser mais conforto, vá ao Baby Center.

stroller
Encontrei na internet essa imagem do modelo alugado nos parques que comento no post
Carrinho de bebê

Leve carrinho. Definitivamente não dá para visitar os parques sem carrinho de bebê. Mesmo que seu filho seja maiorzinho, você vai andar muito e ele certamente não vai aguentar. Caso não tenha, os parques oferecem serviço de aluguel de carrinhos. Eles não são muito confortáveis, mas podem ajudar bastante. O valor da diária, se não me engano, é de 18 dólares. Se você for passar muitos dias na cidade, visitar muitos parques e não quiser pagar uma fortuna de aluguel, é possível encontrar modelos em torno de 30 dólares em lojas como Wal Mart e Burlington. Há também empresas que alugam durante o período em que você estiver lá, e entregam e retiram no hotel sem custo extra.

Dica bônus: se tiver aqueles carrinhos mais compactos, do estilo guarda-chuva, opte por eles, que são bem mais práticos na hora de desmontar para entrar e sair do transporte que leva do estacionamento ao monorail.

Água

Uma garrafa de água no parque custa USD 3,50. Encontramos uma promoção no Walgreens de um pacote com 48 garrafas de 500 ml por USD 4,49 (o preço normal seria USD 3,50 o pacote de 24 garrafas). Mesmo sem estar na promoção, vale muito mais a pena comprar e levar. Será uma baita economia, ainda mais em tempos de dólar a 5 reais!

Atrações

O que eu fiz no meu planejamento: o site da Disney tem listadas todas as atrações do parque com indicação de altura e idade mínimas. Peguei todas as atrações nas quais o Otto poderia ir e no dia da visita organizamos pela localização no mapa e tempo de espera em cada atração. Para as atrações mais concorridas ou que queríamos muito ir, já deixei fast pass marcado antes. Essa é uma maneira prática e inteligente de organizar a visita, pois evita o vai e volta à toa e perda de tempo, já que o parque é muito grande.

IMG_7530

App My Disney Experience

Use e abuse dele. Vai ser seu melhor amigo durante seus dias na Disney. Nele, você tem o mapa dos parques, horário de funcionamento, agendamento de fast pass, tempo de espera de cada atração, além de conseguir buscar atrações e criar rotas de um local a outro. E lá também que ficam reunidas as fotos que você tirar pelos parques com o serviço Disney PhotoPass. Há fotógrafos espalhados pelo parque e você vai tirando fotos durante o dia que são linkadas quase que instantaneamente ao aplicativo através da magic band ou do seu cartão de entrada.

IMG_9374
Alimentação

Eu gosto sempre de levar comida para o Otto quando estamos viajando. Levei para o Magic Kingdom para oferecer no horário do almoço dele, ele comeu um pouco e depois oferecemos algo que comemos no nosso almoço. No caso aqui foi a turkey leg (uma coxona de peru). Demos alguns pedacinhos desfiados e ele deu uma beliscada.

Os restaurantes do parque não oferecem opções muito gostosas ou saudáveis, além de serem bem caros. Então sugiro que as mães levem comidinhas e lanchinhos para oferecer às crianças.

771cbd4a-6eb1-4232-ac8c-1cebb3703be6

Curtir o parque com crianças

Fiquei impressionada com a quantidade de bebês bem pequenos que vi no Magic Kingdom, até comentei nos stories. As mães são muito descomplicadas e vão sem medo. Com carrinho, sling, canguru…

Claro que todo mundo deve passar por uns apertos com as crianças, mas depende da maneira que você leva a situação. Sentei ao lado de uma americana com dois filhos de idades próximas; a menina estava irritada com alguma coisa, fazendo birra. A mãe, tranquilamente, perguntou: “Filha, o que está acontecendo? Você precisa me falar para que eu possa saber. Você está com frio? Está com fome? Se você não me falar, não tenho como saber”. Se ela entra no caos da menina, vira aquele estresse, todo mundo se irrita e acaba o dia.

Acredito que para evitar o perrengue, a regra é respeitar o tempo do seu filho. Enquanto ele estiver ativo, aproveite para ir nas atrações, brincar e se divertir. Bateu fome, sono, cansaço? Dê uma parada, veja qual é a necessidade dele, deixe ele comer/dormir e então quando acordar vai estar muito mais animado. Foi o que fizemos.

No caso do Magic Kingdom, especificamente, Otto ficou tão agitado com tantas novidades, que não quis dormir no horário de costume. Pulou a soneca da tarde. Ficamos no parque até a noite para assistir ao Happily Ever After, e foi só mais de 18h que ele pegou no sono. Aproveitamos para jantar e garantir nosso lugar para assistir ao show. Com organização e sem estresse, tudo dá certo.

010320134317-3IMG_7527IMG_5021IMG_7556

Gostaram do post? Achou que faltou alguma informação ou gostaria de saber alguma coisa? Deixe nos comentários!