A importância do lúdico em período de isolamento

Já é sabido da importância do brincar e que crianças aprendem através de brincadeiras e vivências. Também já foi comprovado cientificamente que brincar não faz bem apenas para as crianças, mas também para os adultos: alivia o estresse.

Hoje, nesse contexto que vivemos, em que pais e filhos passam cada vez mais tempo juntos em casa, pode ser desafiador conciliar trabalho e brincadeiras com os filhos.

Nesse momento, qualidade é melhor que quantidade. Mais vale tirar pequenos períodos do dia para dar atenção às crianças, com brincadeiras curtas, mas de verdadeira interação por parte dos pais, do que passar o dia apagando incêndios, tentando fazer a criança se distrair enquanto você tenta trabalhar. Estabelecendo isso como rotina, eles passam a entender que tem o tempo deles, mas também tem os momentos em que precisam brincar sozinhos.

Aqui em casa já retomamos as aulas presenciais. Otto passa meio período na escola. Chega em casa por volta de 14h30, toma banho, faz um lanche e então tem a tarde livre para brincar. Como já gastou bastante energia na escola, fica tranquilo, brinca bastante sozinho.

Geralmente procuro deixar esse tempo para estar com ele. Mas se preciso trabalhar no computador, por exemplo, sento perto dele e ele me vê enquanto brinca, percebo que isso o deixa mais calmo.

À noite, começamos com a rotina de leitura antes de dormir visando diminuir o tempo na frente da televisão, que acaba agitando muito as crianças. Ele se mostrou bem animado com a novidade. Após a leitura, luzes apagadas e hora de dormir. São momentos de conexão entre nós e de tranquilidade minutos antes de pegar no sono, o que o faz dormir melhor.

Além de toda importância para o aprendizado e desenvolvimento, o brincar também deixa memórias e cria laços. Ainda que não se esteja brincando junto, é importante interagir, mostrar interesse. No futuro, esses vínculos estarão fortalecidos e esse período deixará boas memórias de um tempo caótico lá fora, mas de amor e companheirismo aqui dentro.

Viagem com crianças no cenário atual

viagem crianças

Precisei sair de casa nos últimos dias e tenho notado a vida sendo retomada aos poucos. Pessoas nas ruas, comércios reabrindo, enfim.

Percebi também, através das redes sociais, que algumas famílias estão voltando a viajar. E não para a casa de praia ou de campo, mas sim para grandes hotéis no interior, próximos de São Paulo, com fácil acesso em poucas horas de carro.

Hotéis se prepararam, tomaram as devidas providências e adotando novos protocolos rigorosos de limpeza e segurança no que diz respeito ao cuidado com a Covid-19, estão reabrindo.

Utilização de máscaras, distanciamento social, adequação da forma de servir as refeições (os buffets devem ser fechados e um funcionário irá servir os hóspedes, deve haver um distanciamento mínimo de dois metros entre as mesas do restaurante), aumento na frequência da limpeza, álcool em gel disponível nos ambientes, entre outras medidas. Essa é nossa nova realidade – não apenas nos hotéis, mas em todos os outros lugares.

Pelo menos por enquanto, acredito que será um momento de readaptação, e de aprender a fazer o que já estávamos acostumados, mas de outra maneira.

Não acredito que se possa falar em pós-pandemia ainda. Mas sinto que devagar as coisas estão se encaminhando e, de um jeito ou de outro, a vida precisa continuar, a economia precisa girar, enfim. O turismo foi um setor fortemente atingido durante o período de quarentena.

O que você acha desse retorno? O lazer e o contato com a natureza são muito importantes para as crianças, especialmente depois de um longo período de isolamento em casa. Você está preparada para essa retomada? Levaria sua família para um hotel nesse momento ou acha que ainda é cedo? Me conta aqui nos comentários o que você acha!

Comemorando aniversário na quarentena

Desde que começou a pandemia, muitas pessoas estão tendo que celebrar os aniversários em isolamento social.

Nova forma de comemorar: com simplicidade, sem muita gente em volta e abraços de parabéns, só os virtuais, por meio de mensagens ou chamadas e vídeo.

Eu faço parte desse grupo e apaguei velinhas essa semana para comemorar mais uma primavera. Quis dividir aqui com vocês a mesinha que fiz. Achei que ficou simples e bonita.

Encomendei uma massa para o almoço e depois emendamos com bolo e docinhos para o parabéns.

Bolo: @soscupackes

Docinhos: @santagulacafe

Balões: Mercado Livre

Look

Calça @leblogstore

Sandália @artempe

Gostaram? Quem também teve que comemorar durante a quarentena? Conta aqui nos comentários!

Chá de bebê virtual durante a pandemia

chá de bebê virtual

Ontem falei sobre as grávidas que estão passando por dificuldades esperando bebê durante a pandemia. Com o isolamento social, muitas não puderam ter o sonhado chá de bebê ou chá de fraldas para reunir a família e amigos e ganhar presentes para contribuir com o enxoval.

Essa semana conheci uma plataforma que pode ajudar as famílias quanto a isso. A EuNeném funciona mais ou menos como a lista de casamento: a mãe cria uma lista de presentes e envia convites para as pessoas; os convidados acessam a lista e presenteiam virtualmente com o que gostariam de dar; a mãe recebe o valor dos presentes em dinheiro e pode usar o crédito para comprar o que quiser.

Com a mudança de comportamento causada pela pandemia, a plataforma pode ser uma ótima alternativa para ajudar as mães nesse momento. Qualquer pessoa pode criar uma lista de presentes sem nenhum custo, só é cobrada uma taxa a partir do momento em que forem recebidos os presentes.

Funções que antes eram pagas, como criação de convites personalizados e gerenciamento do controle de envio e recebimento dos convites, estão liberadas de forma gratuita para ajudar as gestantes neste momento.

Para as mães que estão fazendo enxoval sem poder sair de casa e também não poderão fazer festa, a ferramenta pode ser de grande ajuda. Além disso, é uma forma de fazer as pessoas queridas que estão longe fisicamente participarem desse momento tão especial na vida da família, que é a chegada de um bebê.

Imagem: Pinterest

Gestantes em tempos de Covid-19

 

grávidas covid_19

Gerar um filho é um dos momentos mais especiais na vida da mãe. Envolve sonhos, emoções e muita expectativa. Receber o filho rodeada pela família, ser acolhida com muito amor e calor humano. Tudo isso faz parte da nossa cultura, mas, atualmente, devido ao coronavírus, essa realidade mudou.

Muitas grávidas tiveram que cancelar chá revelação, chá de bebê e as visitas na maternidade já não são mais permitidas. Fala-se até de não permitir que o pai acompanhe a gestante na sala de parto.

As gestantes estão incluídas no grupo de risco, mas não porque elas podem ser mais propensas a contrair o vírus, e sim como uma medida que visa protegê-las, já que a imunidade das mulheres durante a gravidez e puerpério costuma ser mais baixa do que o normal, de acordo com o Dr. Antonio Julio Sales Barbosa, obstetra e fundador do Centro Paulista de Parto Normal.

Ainda não existe comprovação de que a mãe que tenha Covid-19 possa transmitir para o bebê durante a gestação ou durante a amamentação. Mas, nos casos de mães contaminadas, elas só têm acesso ao bebê quando os dois recebem alta, o que pode demorar pelo menos sete dias.

Fato é que muita coisa vem mudando com a pandemia, e temos que nos adaptar a essas mudanças. Quanto antes isso acontecer, menos doloroso. No caso das gestantes também. Essa é uma nova realidade e todas as medidas visam preservar vidas, inclusive do bebezinho que está a caminho.

Esse post é para me solidarizar com todas as mães que estão passando por isso agora. É difícil, mas nesse momento o mais importante é receber seu filho com saúde e segurança. Vocês terão uma vida para compartilhar momentos com a família e amigos no futuro. Se tem uma coisa que a maternidade ensina logo de cara é que nem tudo (aliás, quase nada) está sob nosso controle. Muitas coisas fogem de nossa vontade e só nos resta aceitar e agradecer.

Às futuras mamães, um abraço bem apertado e vibrações positivas de que tudo vai dar certo!

Imagem: Pinterest