Bom, ruim ou depende

O exercício de domínio pessoal de hoje refere-se a lente pela qual você enxerga o mundo.

Se olharmos para trás, com certeza existirão situações pelas quais passamos que rotulamos como desastres na época e que hoje, após superadas, reconhecemos como bençãos. Afinal de contas, graças a elas chegamos até aqui, com a maturidade de agora.

Pense em algo pelo qual você esteja lutando agora, você pode escolher enxergar como uma coisa ruim ou como uma coisa boa.

Existe um conto sufi que expressa bem essa ideia:

“Numa antiga aldeia vivia um velho camponês. Ele possuía o cavalo mais bonito do lugar. Todos os vizinhos o consideravam o homem mais feliz do povoado por ter um animal como aquele. Certo dia, ao amanhecer, o camponês foi alimentar o cavalo e descobre que esse havia fugido. Ao invés de cair em consternação, o bom homem suspirou por um instante e então seguiu em suas tarefas diárias.

Tão logo souberam da fuga, os moradores foram à casa do camponês para consolá-lo. O encontraram cuidando da horta. “Meu bom amigo, você deve estar muito triste”, comentou um deles, “perder um cavalo como aquele… que lástima!”. Ao que o camponês apenas respondeu: “coisa boa, coisa ruim… quem sabe?”. Todos ficaram se entreolhando, sem entender ao certo o que significavam aquelas palavras. E o camponês seguiu a capinar.

No dia seguinte, inesperadamente, eis que o cavalo está de volta. E não só isso: trazendo uma égua selvagem com ele. Do outro lado da cerca um vizinho presencia a cena, e a notícia se espalha pelo lugarejo. Era um milagre: o cavalo não só havia voltado, mas tinha trazido consigo uma égua jovem e muito bonita.

Novamente a casa do camponês se encontra repleta de gente. “Você tem muita sorte meu amigo, o cavalo voltar desse jeito! E ainda trazer uma égua! Que felicidade em dobro!”. Ao que o camponês, sem pestanejar, responde calmamente: “coisa boa, coisa ruim… quem sabe?”. Novamente aquelas palavras enigmáticas não encontraram quem as compreendesse.

Ao entardecer daquele mesmo dia, o filho do camponês resolve domar a égua selvagem, mas leva um tombo e quebra uma perna. Nova romaria à casa do camponês. “Meu Deus, que azar”, diz uma mulher. “Sim, se o cavalo não tivesse voltado isso não teria acontecido”, retruca outro. Só para ouvirem o camponês repetir o de sempre: “coisa boa,
coisa ruim… quem sabe?”.

Passaram-se alguns dias. Eis que a região onde ficava a aldeia declara guerra a um reino vizinho. Oficiais do exército visitam o povoado para recrutar soldados. O filho do camponês, enfermo, não foi alistado. Novamente os moradores ecoam em uníssono: “mas que felicidade! Se o filho não tivesse quebrado a perna, ele teria ido morrer na guerra! O
bom Deus gosta mesmo de nosso amigo!”

O camponês, sereno, ouvindo aquilo tudo, apenas responde: “coisa boa, coisa ruim… quem sabe?”. Os vizinhos, ainda sem nada entender, tomam seu rumo. E tudo segue como sempre fora.”

A verdade é que tudo o que acontece na nossa vida, imediatamente rotulamos como bom ou ruim, quando na verdade deveríamos praticar a lei da aceitação de que tudo o que acontece, tem uma razão e traz um benefício, pode ser em resultado ou aprendizado.

O domínio pessoal tem muito a ver com fluir e soltar. Contraditório no primeiro momento falar de domínio e fluidez, mas a verdade é que para despertar a liderança pessoal é preciso que você tenha controle dessas pequenas práticas que abordamos durante esse mês (se ainda não leu, leia os posts anteriores, basta digitar “autoconhecimento” no campo de busca do blog). 

Escreva no seu diário de jornada sobre algumas experiências que você rotulou como ruins na época em que aconteceram e as consequências positivas que elas trouxeram para a sua vida. Não faça esse exercício ao contrário, não pense em como poderia ter sido ruim, a ideia central é a aceitação e percepção de que tudo depende do ponto de vista.

Espero que esse texto tenha despertado bons insights em você.

Luz e sucesso!


Esse texto foi escrito por Flávia Gimenes, empreendedora, terapeuta, leader coach e advogada fundadora da Líder de Si Desenvolvimento e Evolução. Sigam no Instagram @lidersesi.de para acompanhar conteúdos enriquecedores sobre autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e liderança humanizada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s